"Observatoire des déplacements de SP" (Observatório de remoções)
Publications - Articles
Vendredi, 14 Juin 2013 21:48

Retrouvez ci-dessous un document explicatif sur le blog "Observatório de remoções" ("Observatoire des déplacements de SP"):

 

Prezado(a) Sr (a)

Nós dos laboratórios de pesquisa - LABCIDADE e LABHAB da FAUUSP - queremos
convidá-lo(a) a participar do lançamento dos primeiros dados compilados no âmbito do
OBSERVATÓRIO DE REMOÇÕES na cidade de São Paulo.
A universidade, atenta à intensificação dos processos de REMOÇÃO FORÇADA na
cidade, principalmente junto a populações moradoras de assentamentos informais e
cortiços, e preocupada com os impactos sócio-teritoriais deles decorrentes, articulou-
se a parceiros como a Defensoria Pública do estado de São Paulo, o SAJU da
Faculdade de Direito da USP, o Escritório Modelo da PUC SP, o Centro Gaspar Garcia
de Direitos Humanos, e movimentos de moradia como a CMP, a UMM e FLM, no
intuito de organizar as informações sobre as comunidades atingidas por remoções
recentes no município e torná-las acessíveis ao público em geral.
O referido OBSERVATÓRIO DE REMOÇÕES lançará os primeiros resultados do
mapeamento realizado a partir de informações veiculadas na imprensa, coletadas em
pesquisas realizadas nos laboratórios envolvidos no projeto, assim como a partir de
denúncias recebidas pela Defensoria Pública e pela Relatoria Especial para o Direito à
Moradia Adequada da ONU.
A total ausência de informações sobre os números de remoções recentes na cidade
e o grau de violência adotada pelo Estado nos recentes procedimentos de despejo no
município a justificam a urgência do debate sobre o tema.
É nesse sentido, que a equipe do OBSERVATÓRIO DE REMOÇÕES conta com sua
presença para o debate a ser realizado sobre o banco de dados referenciado em
mapa interativo construído até o momento.
A universidade, atenta à intensificação dos processos de REMOÇÃO FORÇADA na
cidade, principalmente junto a populações moradoras de assentamentos informais e
cortiços, e preocupada com os impactos sócio-teritoriais deles decorrentes, articulou-
se a parceiros como a Defensoria Pública do estado de São Paulo, o SAJU da
Faculdade de Direito da USP, o Escritório Modelo da PUC SP, o Centro Gaspar Garcia
de Direitos Humanos, e movimentos de moradia como a CMP, a UMM e FLM, no
intuito de organizar as informações sobre as comunidades atingidas por remoções
recentes no município e torná-las acessíveis ao público em geral.
O referido OBSERVATÓRIO DE REMOÇÕES lançará os primeiros resultados do
mapeamento realizado a partir de informações veiculadas na imprensa, coletadas em
pesquisas realizadas nos laboratórios envolvidos no projeto, assim como a partir de
denúncias recebidas pela Defensoria Pública e pela Relatoria Especial para o Direito à
Moradia Adequada da ONU.
A total ausência de informações sobre os números de remoções recentes na cidade
e o grau de violência adotada pelo Estado nos recentes procedimentos de despejo no
município a justificam a urgência do debate sobre o tema.
É nesse sentido, que a equipe do OBSERVATÓRIO DE REMOÇÕES conta com sua
presença para o debate a ser realizado sobre o banco de dados referenciado em
mapa interativo construído até o momento.

 

Adilson Guaiati

Géographe-Doctorant en Urbanisme

Universite Paris  Ouest Nanterre